Jornada de 13 de Março

No dia 13 de Março concluiu-se a série de jornadas voluntárias de Inverno no Cabeço Santo com uma excelente jornada em que participaram quatro voluntários e se plantaram mais de 200 árvores e arbustos.

Logo para começar tratou de se avaliar o motivo porque apareceram dois tubos arrancados na primeira área de plantação deste Inverno, não obstante estarem presos a um tutor. Mais uma vez a conclusão não foi difícil de tirar: javalis. Os indícios? Escavações em torno dos pés das árvores plantadas (à procura de bolotas) e mesmo uma poderosa dentada num tubo! Felizmente, as árvores não tinham sido gravemente danificadas e os tubos, a vários metros das plantas, foram de novo colocados no sítio. Tivessem os javalis encontrado bolotas junto aos pés daquelas duas árvores e provavelmente todo o campo tinha sido arrasado!

Indício de presença indesejada

Os trabalhos da manhã consistiram na plantação de salgueiros ao longo da margem norte do Ribeiro, de carvalhos e de azevinhos nos espaços ainda disponíveis, e no infindável trabalho de arrumo da lenha espalhada pelo terreno.

O Ribeiro de Belazaima continuou em recuperação

Perspectiva dos trabalhos, avançada a manhã

As mimosas pertencem a uma parcela que não foi possível incluir no projecto

À tarde concluiram-se os trabalhos de plantação na área a jusanto do vale 6, onde decorreram boa parte destas jornadas de Inverno, e desceu-se de novo o curso do Ribeiro para plantar algumas árvores em incrivelmente estreitas antigas leiras de cultivo, num pequeno terreno gentilmente oferecido pelo seu proprietário.

Pelo final da tarde, em estreitíssimas e inclinadas antigas leiras agrícolas

Também não se esperou pelo final do dia para tirar uma foto da equipa junto ao Ribeiro, com o pensamento em todos os Rios ameaçados desta Terra, mas particularmente os desta nação, grotescamente agredidos por quem maior responsabilidade teria em os proteger. O humilde ribeiro que nos acompanha talvez não atraia a cobiça de ninguém, pois de contrário todo o esforço dos que deram o seu tempo, o seu esforço, e mesmo o seu coração, para a sua recuperação quase a partir das cinzas, poderia ser varrido por gente sem rosto que talvez nunca aqui tenha estado (ou que, mesmo tendo estado, nada teria visto) mas que mandaria os seus “lacaios” vir a público justificar qualquer agressão em nome dos mais socialmente, e até ambientalmente, aceitáveis argumentos.

Em conclusão, os presentes nesta jornada estão solidários com os companheiros que neste mesmo dia se manifestam contra todas as agressões prometidas e já em prática contra os rios portugueses.

A equipa, com uma reverência especial para todos os rios do país

O dia terminou na margem oposta aquela em que se iniciou, com a conclusão da plantação dos salgueiros disponíveis, já o sol se escondia no horizonte. Foi também a conclusão das jornadas de Inverno de 2010, com um balanço francamente positivo, quer em participação quer em trabalho realizado. Uma equipa profissional está também no terreno desde meados de Fevereiro, tendo já plantado mais de 2000 medronheiros, centenas de murtas, centenas de carvalhos e castanheiros.

A Primavera está à vista e com ela as Jornadas de Primavera no Cabeço Santo, em que se vai fazer o acompanhamento das áreas plantadas, continuar o arrumo de lenha espalhada e retomar o controlo da flora invasora. E no dia 15 de Maio teremos um dia de visita. Mais detalhes com o início da Primavera!

P. D.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: