1ª Jornada de Primavera

A jornada voluntária de 6 de Abril foi uma fantástica jornada decorrida num dia igualmente fantástico, cheio de uma luminosidade como ainda não tinhamos usufruído este ano, mas ao mesmo tempo fresco, permitindo uma actividade intensa sem se sentir cansaço.

A Primavera chega lentamente ao local escolhido para os primeiros trabalhos deste dia: os carvalhos, espinha dorsal do bosque autóctone, já começaram a rebentar mas as primeiras folhas, de um verde avermelhado, ainda não escondem o desenho dos ramos; a urze-branca, com a sua abundância de flores brancas como a neve, resplandece na paisagem, sempre isolada das suas irmãs; a queiró (Erica umbellata), a mais abundante das urzes desta paisagem, que quando está plenamente em flor, aí por meados a finais de Abril, dá às encostas por onde domina uma inconfundível coloração avermelhada, começa agora a florescer, umas plantas mais, outras menos. Quem olhasse, neste dia, para essas encostas, verificava contudo que a cor que dominava ainda era o amarelo vivo das flores da carqueja, essa planta tão frugal mas tão generosa e cheia de qualidades, que se estende pelas encostas rochosas e pobres. Nos solos mais férteis do vale, junto aos carvalhos, eram as pequenas violetas que chamavam a atenção, aproveitando a generosa luz solar antes de os carvalhos lhes fazerem sombra.

matagal em primeiro plano, carvalhal em segundo e galeria ripícola ao fundo

Matagal em primeiro plano, carvalhal em segundo e galeria ripícola ao fundo

O grupo de voluntários, que incluía a mais jovem voluntária jamais presente numa jornada, iria concentrar-se na mancha de carvalhal a jusante do vale nº 6, arrumando lenha de desbastes recentes mas também lenha mais antiga das muitas mimosas que aqui já existiram e que foi ficando espalhada, estorvando os trabalhos de gestão deste espaço. Também por aqui tinha passado recentemente uma equipa de sapadores da Câmara de Águeda, cortando os últimos rebentos de eucalipto ainda sobreviventes, e cuja lenha era também necessário arrumar. A motoroçadora funcionou quase a tempo inteiro, cortando os rebentos de mimosa que, apesar dos esforços, teimam em regressar, e sobretudo triturando o silvado em torno das árvores e arbustos, dando-lhes melhores condições de crescimento e criando diversidade no conjunto do espaço. O trabalho foi aqui dado por concluído já passava das 15 horas, deixando este espaço um “brinquinho” no qual apetecia ficar até ao final do dia, ou quem sabe, da Primavera.

Voluntários arrumando lenha

Voluntários arrumando lenha; urze branca em primeiro plano, à direita

A motoroçadora funcionou quase ininterruptamente

A motoroçadora funcionou quase ininterruptamente

Voluntário desramando árvores cortadas

Voluntário desramando árvores cortadas

Depois da lenha arrumada, já se podia passear

Depois da lenha arrumada, já se podia passear

Mas ainda tinha ficado um bocadinho do dia para uma área 250 metros a jusante, também junto ao Ribeiro, exactamente o local onde a maior parte das árvores presentes foi plantada por voluntários em Janeiro de 2010 (https://ecosanto.wordpress.com/2010/01/). Cada uma dessas árvores pode agora ser “visitada”, e como sempre acontece com os carvalhos, cada um deles tem um aspecto distintivo, na forma como os seus ramos se distribuem, se desenvolvem, até no tamanho e forma das folhas. É como se fossem árvores com “personalidade”. E foi junto a uma dessas singulares árvores, uma com ramos laterais especialmente horizontais e que na coroa parece ter “perdido” o seu eixo central, que a equipa de voluntários deste dia se reuniu para uma foto final, neste maravilhoso dia em que só um pequeno incidente “técnico” com um voluntário foi de lamentar.

As águas corriam abundantes no ribeiro

As águas corriam abundantes no ribeiro

Voluntários deste dia

Voluntários deste dia

Quanto à próxima jornada, a sua data terá de ser alterada, devido à participação do Núcleo de Aveiro na Expo-florestal, onde o projecto Cabeço Santo estará de novo em destaque. Passará para 11 de Maio, já no “coração” da Primavera!

Obrigado a todos os voluntários!

Anúncios

2 Respostas so far »

  1. 2

    Ze Duarte said,

    Tanto as fotos do Abel como as da Odete estão muito giras. A Matilde e a Sandra gostaram muito deste dia apesar do trabalho que se faz sempre com gosto quando pensamos no que está em causa e no que queremos (re)descobrir no futuro.


Comment RSS · TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: